quinta-feira, 1 de abril de 2010

O irmão mais velho!

Estávamos nós em casa quando a campaínha toca, e alguém responde do outro lado... "É o tio L.". A surpresa invade-nos, teremos percebido mal, ou estará mesmo o tio preferido da Mariana prestes a entrar por esta porta... OK, deixem-me explicar o tio L. esteve 2 anos e qq coisa a morar conosco, dos 2 aos 4 anos da Mariana, e dos 16 aos 18 anos do tio L.

Fazima uma dupla inseparável, para ela o tio era e é lindo e perfeito, quando nos zangávamos com ele, defendia sempre o seu tio... e era a única pessoa capaz de por o jovem L. a ler um livro. Ele sempre odiou ler, mas quando a Mariana lhe pedia, ele pacientemente lia o livro as vezes que ela quisesse, sem nunca se mostrar aborrecido ou zangado.

Faz já 2 anos que saiu de casa para ficar mais independente... mas para a Mariana continua a ser o seu tio L., o seu "irmão mais velho!"

Ele só vinha fazer uma visita, mas teve que jantar conosco, comer pizza, sumo e bolo, e ainda ver 2 filmes de animação com a Mariana. Ela não saiu do colo dele um segundo e esqueceu-nos completamente, contou-lhe todas as suas últimas aventuras, namorados, filmes, amigas... tudo!

Era fácil ver no brilho dos olhos dela e na força do abraço que lhe deu que o Amor pode deambular por aí, mas quando é puro não morre!

Obrigado pela visita...
InI Namasté... Jah Bless!

4 comentários:

Sayuri disse...

Lindo o amor!

Mag disse...

Mas que linda.... :)

Graça Pereira disse...

Quando os sentimentos são puros...a sua manifestação é...poesia!
Um beijo
Graça

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/